segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Poema I

Não preciso dizer nada
nao preciso escrever nada
nada preciso fotografar



Está tudo dito, narrado
e descoberto diante de qualquer olho



Conformo-me apenas em ser leitor desse mundo
e se de repente tenho algum insight
é porque antes a ignorância me dominava



E prefiro viver assim
dominando minhas ignorâncias
e enterrando-me nesse mundo de lembranças

Um comentário:

  1. Belo insight!
    Também me convenço de que é mais interessante ser um "leitor desse mundo". É mais interessante e temos a boa sensação de que a leitura, intensa, encherá nosso espírito de algo mais que a nostalgia das folhas secas e as intensidades dos prazeres, sempre fugazes.
    Seu "Poema I" é brilhantemente intenso e expressivo.
    Parabéns.

    ResponderExcluir